© Pedro Madeira

© Pedro Madeira

Nuno Alves

Diretor executivo/artístico e músico

Programador cultural desde 1993, fundador do Festival de Paredes de Coura, Space Festival, e curador de concertos na Casa da Música, Aula Magna, entre outros espaços. Músico e diretor artístico do Space Ensemble, com um vasto trabalho na criação de filmes-concerto com cinematografia de Norman Mclaren, Heikki Preppula, Lotte Reiniger, DzigaVertov, entre outros realizadores emblemáticos, com atuações habituais nas melhores salas de Portugal.

Fundador e diretor da Escola do Rock Paredes de Coura, projeto criado em 2014 e vencedor do prémio Município do Ano da Universidade do Minho. Uma escola que tem vindo a atuar em alguns dos melhores eventos de Portugal como o Vodafone Paredes de Coura, Serralves em Festa, Verão na Casa (Casa da Música), Gnration Open Day, entre outros. Diretor artístico e executivo em diversos projetos com comunidade como “Uma Visita Real” em Paredes de Coura (2015), “Trilogia dos Vales” em Monção (2017 e 2022), “Retratos da Nossa Gente” em Paredes de Coura (2010) e em Guimarães – Capital Europeia da Cultura (2012), e “Floresta Animada” com escolas do 2º ciclo em 5 municípios do Alto Minho (2010).

Fundador e Diretor de Programação do Canal180, canal de televisão por cabo dedicado à Cultura, Artes e Criatividade disponível na NOS, Vodafone e MEO desde Setembro de 2010. Engenheiro Eletrotécnico formado na Universidade de Coimbra, com vinte anos de experiência em coordenação de equipas de desenvolvimento e planeamento de projetos de software na área de telecomunicações e transformação digital.




© Paula Jiménez

Samuel Martins Coelho

Diretor musical, compositor e músico multi-instrumentista

Samuel Martins Coelho (1980) tem feito um percurso de descoberta e constante reinvenção da sua linguagem musical. Com raízes na música clássica, tem vindo a desenvolver uma linguagem muito própria, utilizando diversas fontes sonoras. O seu trabalho atravessa vários géneros e universos musicais, desde a música clássica à música conceptual, experimental e à improvisação. A sua atividade artística desenvolve-se em vários projetos, tais como Samuel Martins Coelho, EL RUPE (trio de jazz fusion), Pata Física (música eletrónica e spoken word), Estranhofone (esculturas sonoras), colaborando também nos projetos, Ondamarela, Space Ensemble, MODS Colective, Escola do Rock Paredes de Coura, Gnomon, Hot Air Baloon, NACO, Miguel Ramos e Atic, tendo diversos discos editados.

Nos últimos anos tem colaborado como diretor musical, compositor e instrumentista com companhias de teatro como o Teatro Experimental do Porto, Máquina Agradável, Teatro Bruto, Comédias do Minho e Teatro Oficina. Desenvolve atividades com comunidades, e lidera intervenções musicais criativas, dirigidas a crianças e ao público em geral, cooperando com vários protagonistas das áreas da dança, do teatro e da performance. Em 2017 foi artista residente do AiR Programme, em Malta (Gozo), no âmbito do programa da Fondazzjoni Kreattivitá e Valletta 2018 (Capital Europeia da Cultura).

Samuel Martins Coelho estudou violino na Escola Profissional Artística do Vale do Ave e na Academia Nacional Superior de Orquestra (Lisboa). Participou no II Curso de Formação de Animadores Musicais do Serviço Educativo da Casa da Música, tendo colaborado como facilitador nos cursos posteriores. Também na Casa da Música realizou workshops de Soundpainting, Sons do Dia (Marc Ducret), General Skills in the Class Room (Sam Mason, Tim Steiner) e o seminário de Gamelão (Andy Canning).




© Paula Jiménez

Carina Albuquerque

Compositora e violoncelista

Estudou violoncelo na Artave, com o Professor Jaroslav Mikus. 2001/07, Guildhall School of Music and Drama (Londres), grau de Bachelor of Music (2004), Master’s Degree in Music (2005), Post-Graduate Diploma (2006), com Distinção, Master’s in Music Performance – Guildhall Artist (2007). Fellowship pela GSMD, 2007/08. 2015, Mestrado em Ensino de Música, Universidade do Minho. 2018/19 frequentou o XIV Curso de Formação de Animadores Musicais da Casa da Música, com Tim Steiner, Sam Mason, Paul Griffiths e Pete Letanka.

Violoncelista galardoada: 3º prémio no Concurso de Interpretação do Estoril (2009), 1º prémio no North London Music Festival (2004), 2o prémio nos concursos: Prémio Jovens Músicos da RDP (2004), Wolfson Foundation Award (2002), Internacional de Instrumentos de Arco Júlio Cardona (1999), Parnaso (1994). Concilia a atividade concertística, com a atividade pedagógica no Conservatório de Guimarães, onde leciona Violoncelo.

Gravações com: Carminho, Manel Cruz, Carolina Deslandes, Miguel Ramos, Maria do Céu Camposinhos, SoundMaker. Fundadora do Quarteto Da Capo (2005/08), com quem gravou para a BBC e Southbank Centre. Convidada para as edições do Festival Musical’été à Sevrey (França), em 2017 e 2019. Integrou a Orquestra do Norte (2006/09) e a Fundação Orquestra Estúdio (Capital Europeia da Cultura 2012). 1º violoncelo solo da Orquestra de Guimarães. Colabora frequentemente com as Orquestras Gulbenkian, de Câmara Portuguesa, Camerata Nov’Arte e Filarmónica Portuguesa.




© Paula Jiménez

Jorge Queijo

Compositor e músico multi-instrumentista

A partir de encontros musicais variados, Jorge Queijo (1974) desenvolveu um gosto particular por composições contemporâneas, colhendo influências de rock, thrash metal, jazz, free jazz, improvisação, minimalismo, gamelão e formas de música deep drone.

Multi-instrumentista, improvisador, compositor e produtor, estudou percussão clássica e é licenciado em Jazz pela ESMAE. Tem ainda um mestrado em Liderança Musical pela Guildhall School of Music and Drama. As suas criações incluem encomendas de música para dança, teatro e exposições, além de criar as suas próprias instalações sonoras.

Jorge Queijo é um músico muito requisitado, que já colaborou com vários artistas europeus e americanos (Chris Corsano, Nate Wooley, John Zorn, Rodrigo Amado, Yoshio Machida, Call Lyal, Burkhard Beins, Fritz Hauser, Hugo Antunes, B. Fleischmann, Liz Allbee, Duncan Speakman, Sara Anderson, Sérgio Carolino, Jorge Coelho, Gustavo Costa, Alberto Lopes, Henrique Fernandes, João Filipe Pais entre outros). Em 2020 lançou 10 discos, 7 dos quais foram lançados em 7 horas.




©Pedro Madeira

Sérgio Bastos

Compositor e músico

Sérgio Bastos nasceu no Canadá, em 1980. Começou a estudar piano aos 10 anos de idade, tendo estudado no Conservatório Regional de Tomar, Conservatório Nacional de Lisboa, Hot Club de Portugal e Escola Superior de Música e das Artes do Espectáculo (ESMAE), onde se licenciou em Piano-Jazz. Atualmente frequenta o Mestrado em Ensino de Música - Jazz na ESMAE.

No seu percurso profissional tem vindo a colaborar com projetos de diversas áreas musicais, tais como Space Ensemble, Serviço Educativo da Casa da Música, Serralves - Improvisações / Colaborações com Fred Frith e Mark Dresser e com Sven-Ake Johansson, Porta Jazz, Teatro A Barraca, Stopestra, Cavalheiro, Tulsa, S. Pedro, Glockenwise, Miguel Ramos e Evols.

É professor de piano e pianista acompanhador na Academia de Música de Castelo de Paiva e na Escola do Rock de Paredes de Coura.